quinta-feira, 27 de setembro de 2012

*Pão D'Amor*








Carregava no meu colo pão, e dele enchi cestas de comunhão... Mundos estavam famintos, fome de amor, de compreensão. Com humildade um dia sonhei encontrar um homem, algures por aqui ou por aí, não sabendo seu nome por ele talvez me iria apaixonar, hoje e embora saiba que não sonho, sinto que tenho o sonho nas mãos. A luz que brilha iluminando cada passo que dou, no meu colo para além do pão que carrego, é a ti que um dia prometo adormecer dizendo que te amo! Porque se não dissesse, eu saberia, que não diria e para mim a guardarei nunca sabendo o que alcançaria!


Termino com uma música com votos de uma boa noite!



Alexandra Martinho

9 comentários:

  1. Pode ser que ouça. O sonho é sempre o alimento melhor que o pão, o alimento da alma.....e valoriza o pão, não o buraco (já escrevi isto num post).

    Tens gostos musicais como os meus (Angie antes Still Loving you hoje).

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São estes poemas em prosa que tenho guardados... e que um dia seriam publicados, o meu blog tem servido para isso! Buracos para mim são abismos... aquilo que valorizo são almas, essências, inteligências!

      Eliminar
  2. Um desafio: venha de lá a publicação dos poemas.

    Os alemães Scorpions têm algumas baladas com valor acrescentado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desafio aceite...

      Os Scorpions são uma das bandas da minha vida!

      Eliminar
  3. Bolas, como invejo o teu bom gosto musical.

    By the way: são mesmo 2,00 m ? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São mesmo, dois metros! Quanto ao meu bom gosto musical, tive um belo professor... o meu pai :)

      Eliminar

Façam do meu espaço o vosso espaço, ousem comentar... eu ousarei responder! :)