sábado, 13 de outubro de 2012

"Se amas, assume-o!"









O coração, é um mundo, repleto, repleto de emoções, de lembranças, de significado, é o infinito. 
No mundo em que vivemos, neste mundo presente, é preciso ter coragem para amar, para dar amor, não o encerrando entre quatro paredes apenas para nós. Devemos amar, amar e manter esse mesmo amor aceso, porque ele deverá sempre ser a fonte de tudo, de um inesgotável prazer! Podemos amar todas as coisas, mas só amamos verdadeiramente alguém, quando amamos quem somos. Como tal, não podemos nem devemos dizer a alguém que ame incondicionalmente, pois amar não se pede, amar é viver, sentir, acariciar uma flor.

Imaginem que diríamos para o sol: “Estás claro demais! Sai dos meus olhos! Sai da minha frente!”, o sol fica aborrecido? Perturbado? Com sentimentos feridos? Não! Pois o sol, o sol sabe, como Deus sabe que amar não é uma pergunta que se deve fazer... a mesma foi feita e respondida desde o momento que o beijo se deu. A cada manhã que o sol nasce ele ama, mesmo que as nuvens o afastem e escondam de nós ele continua a amar! 
Amar, quem ama, ama sobre todas as condições... o amor não se deita fora, nem tão pouco é uma beata de cigarro que se apaga com os pés! 
O amor que nutrimos é a continuação do amor divino que sentimos e que Deus sente por aquilo que somos. O amor é como uma chama que apenas arde no fogo do próprio amor.

Amar não é um estado de espirito, é um pássaro que livre canta para ti e para todos nós. Independentemente do tempo, da distancia e do momento, o amor não tem objeções! Não retrai, pois ele é a força da força, ele suporta qualquer tipo de tempo, não está dependente de climas ou de humores!  No amor não existe cegueira, no amor existe sim a verdadeira liberdade! O amor ama simplesmente, ama haja aquilo que houver! Sendo ele para todos, o é amor universal, partilhado por casais, por amigos, por todas as coisas que tem vida ou não! 
Cada ser humano é uma fonte inesgotável de amor, assim que permitimos que o mesmo se expresse de forma natural, sentimos e nos tornamos na nossa verdadeira essência: amor!

Para muitos expressar amor é uma tarefa árdua, complicada, encontramos neles várias camadas que obstruem a sua expressão. Mágoas, traumas, dor, sofrimentos, memórias emocionais, dúvidas, medos, ressentimentos, uma panóplia de situações que na verdade não exercem qualquer poder sobre nós... Nós é que damos esse poder ao vivenciar constantemente esses momentos. Cada momento que vivemos e sentimos tem amor, cada momento da nossa vida pode e deve ser feito por amor. Chega de auto-flagelação, de auto-condenação!

Quando a aceitação se atinge, os momentos que vivemos são feitos de paz, estabilidade, compreensão, cordialidade, amor! O amor é o motor da libertação, é o processo de cura que nos liberta de qualquer tipo de marcas do passado, é uma longa jornada que nem todos estão dispostos de aceitar, mas que terá o seu sentido e o seu fruto se formos perseverantes e soubermos aceitar que tudo aquilo que construímos leva o seu tempo. O amor é uma jornada de cura e de sensibilização constante e consciente!

Naqueles que cá deixamos vemos o nosso potencial espelhado, vemos o nosso sorriso, vemos a nossa alegria. Amar ou o amor em si, por si só, é uma pergunta e uma resposta simultânea pois tudo faz de facto sentido...
Ver o amor nos outros, é preciso mais que ver, é preciso saber quem nós somos e porque nos devemos conhecer em primeiro lugar! Pois só aí entenderemos que mudamos o mundo quando nos mudamos, quando mudamos a nossa perspectiva pessoal de sentir e ver as coisas, quando vemos tudo por diversos prismas e não apenas por um! Escolher o amor em vez do medo, a bondade em vez do ódio, a integração em vez da separação, será como regar uma árvore que nos dará frutos maravilhosos e suculentos na altura de os colher! Se amas, se sentes amor, só tens que o deixar fluir seguir, sentir, vibrar com o mesmo pois assim o mesmo nunca terá fim! 
O amor parte de dentro de ti para fora, se praticares sempre esta regra básica de viver, saberás que independentemente de aceitações ou não, estarás bem contigo mesmo! 

Amar é um diálogo constante, um exercício que fazemos em que nos moldamos, em que vemos o outro despido de tudo, vestido de nada!

Quem ama supera, esquece, avança, apaga... quem ama estará para sempre perto e nunca deixará que o fim apareça... pois quem ama não se limita aos limites! Os limites são para aqueles que desde o inicio pensaram que existiria um fim... Para mim, para mim nunca haverá um fim, porque eu vivi, porque eu chorei e nunca neguei ou maltratei um ser igual a mim!

Triste para mim é saber e sentir que temos tanto nas nossas mãos, que existe tanto em nós e ainda assim desperdiçamos porque nos julgamos melhor que todos, mas não somos melhores que ninguém... somos apenas nós!


Por isso, se amas...


 Assume-o!

Alexandra Martinho




14 comentários:

  1. Eu acho que nem todos têm a sorte de saber amar e cada vez mais são poucos os que merecem ser amados. Não concordo com a ideia hippie do amor. Não acredito que o amor, quando é verdadeiro, seja passageiro, daqueles que só são eternos enquanto durarem. É triste eu amar alguém e pensar que mais daqui a uns tempos esse mesmo amor poderá cessar; isso é mais falta de confiança no próprio amor do que outra coisa, mas o amor também é isso, se calhar também é ter medo. Medo de mudar, medo de deixar de amar, medo de o amor se transformar numa outra coisa, de ser despromovido a um sentimento menor...

    O amor é tão relativo que chega a ser absurdo. Cada vez mais acredito que o amor não é para todos: só para os que merecem amar e ser amados. Uma vez ouvi alguém dizer que o verdadeiro amor incondicional é o amor dos pais para com os filhos, pois trata-se do amor duma relação que nunca termina, ao contrário de, por exemplo, uma relação amorosa entre um homem e uma mulher. Acredito cada vez mais que, tal como a vida, o amor é um sentimento que pode ser brutalmente efémero. O amor tem que ser constantemente alimentado e talvez resida aí a dificuldade de muitos em conseguirem manter a sua chama bem acesa com o passar do tempo.

    Eu também sei amar. E sei que amo. Amo os meus entes queridos, ainda que nem sempre eu saiba demonstrar-lhes os meus sentimentos. E amo sobretudo a Deus, pois Ele está acima de tudo, inclusive de mim próprio. E pronto, assumi o meu amor. :)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fire,

      nós todos temos a capacidade de amar, sim! Porém, com o tempo, com as diversas e sucessivas desilusões muitos deixam essa capacidade adormecer... ou apenas a usam pela metade! Mas sabes de uma coisa, existem "anjos" que surgem na nossa vida e nos fazem acordar, acreditar que tudo é possível e que podemos ser verdadeiramente felizes se assim quisermos! 

      O amor não é relativo, nem absurdo... é apenas amor e o mesmo acontece onde menos se espera, não tem raça, nem cor, nem sexo! 

      beijos!

      Eliminar
    2. Nem sexo? Nisso eu já não concordo. Mas também não se pode agradar a gregos e a troianos. :)

      Eliminar
  2. O que não compreendo é a falta de vontade em assumir.

    "Mick" Hucknall, a voz dos Simply Red, diz tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz mesmo... eu não escolho as músicas ao acaso...

      Eliminar
  3. Quando amo assumo-o, mas o difícil para mim é amar.. gostar é fácil gosta-se de um vestido, de um modelo de carro ou de alguém, agora amar acho que só amei duas vezes...Não há pessoas que me façam amar verdadeiramente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se te amares a ti verdadeiramente já é um grande passo para o resto! Beijo grande!

      Eliminar
  4. Assumir sempre!
    Eu por exemplo adoro a tua força!
    Viste?
    Assumi ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou uma guerreira de G Giganteeeee! :)))

      beijos!

      Eliminar
  5. Amar não é fácil...
    Amar é algo de muito significativo que exige muita verdade...
    Nem sempre é assim...
    Gostei muito deste seu texto.
    Um grande beijinho
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Efectivamente Irene, amar é algo que exige da nossa parte sermos verdadeiros e honrar os nossos compromissos! 

      há uns tempos, perguntaram-me porque raio me debatia tanto por estes temas, que não devia pensar tanto nos outros... nem resposta dei, infelizmente o que faz este mundo estar assim é o virar de costas a tudo que necessita de resolução e não só!

      Beijinho!

      Eliminar
  6. Pois, Alexandra, tem razão. Mas nem todos sabem amar. Às vezes o egoísmo é mais forte! Bjnhs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que até o mais egoísta dos homens e das mulheres tem direito a amar, ser amado e feliz! :)

      beijinho!

      Eliminar
  7. Acho que toda a gente tem capacidade de amar, amar está associado à nossa condição de seres vivos, como disse recentemente, quem não ama não vive, sobrevive, e o amor manifesta-se de variadissimas formas, o mais importante é o amor por nós próprios e daí deriva tudo o resto :)

    Beijo

    ResponderEliminar

Façam do meu espaço o vosso espaço, ousem comentar... eu ousarei responder! :)