sexta-feira, 23 de novembro de 2012

*Boas maneiras, precisam-se*








Não fui, não sou, nem nunca irei ser uma mulher como todas as outras, aquelas que não pensam por elas próprias e que se deixam seduzir por qualquer borra botas que lhes dirige um "elogio".
Estas últimas semanas para mim têm sido terríveis, só Deus e eu, sabemos como ando, como me tenho controlado para não sair porta fora e distribuir murros e pontapés a quem me aparecesse pela frente. 

Infelizmente, o inevitável, aconteceu! Esta tarde houve um fulano com idade para ser meu pai provou o meu punho cerrado no meio das "fuças". Abomino quando dizem que sou "boazona" e que na horizontal somos todos da mesma altura. 

Tenho dois metros de altura, é um facto, o que tem incomodado muitos pindéricos e pindéricas. 
Adoro andar descansada pela cidade, vou falando com quem conheço e observo o que está nas montras das lojas que ainda restam no centro histórico. 

E hoje, foi assim, até... quando ia a caminho da pastelaria para comprar uns quantos pampilhos de chocolate, estavam dois tipos em que um dizia: "eh pá, olha-me aquela gaja! Foda-se é grande e boa!" nisto, o outro diz "Oh boazona, na horizontal éramos da mesma altura!"... não se dando por satisfeito insiste "Estou a falar para ti, oh grandalhona!". 
Não sei o que se passou comigo, simplesmente deixei de ver fosse o que fosse, fosse quem fosse e quando voltei ao meu estado normal, o fulano estava estendido no chão. Tenho a mão dorida, mas estou-me literalmente a borrifar para o que possam ter ficado a pensar. 

Estou farta, estou cansada de aturar gente de merda sem o mínimo de educação. Estou saturada de "putas" e "cabrões", porque "putas" sempre as tive na minha vida e graças a elas ou a "ela" tenho um pai com quem não se pode desabafar, dar um abraço ou um carinho. Estou meses sem o ver e todos os dias ele passa aqui à porta de casa. É simplesmente uma marioneta nas mãos de uma mulher, que não merece sequer ser chamada de mulher... não o sabe ser!

Quanto aos "cabrões", cobiçam as mulheres dos outros e não dão conta do recado em casa! Andam preocupados com as mulheres dos outros e não se preocupam com as deles. Que querem que vos diga mais?! 

Sou mulher, tenho muito orgulho em o ser, por isso, não admito aquilo que descrevo neste post e outras coisas mais. Não admito, não gosto, não quero e estou cheia desta sociedade de merda que vive de protocolos, de fantochadas, do diz que disse e que no fundo, não passam todos de uns miseráveis papagaios que se imitam uns aos outros sem personalidade. 

Uma mulher para ser mulher não tem medo de partir as unhas, mexe na lama, na caca, mexe onde for preciso... é mulher e sabe ser uma mulher de respeito em casa, na rua, no trabalho! Eu podia ignorar? Podia, mas não era a mesma coisa... quando temos em cima anos e anos de mazelas de situações que nos magoaram é assim que reagimos. Além do mais já tenho que me dê elogios e a ele devo respeito e outras coisas mais que hoje em dia pouco se vê!

Acrescento, um homem para ser homem, deve e tem de usar os tomates que tem para cuidar da mulher que tem em casa, não daquelas que passam na rua. Um homem que se diz ser homem preserva a mulher que tem em casa, transformando-a na Deusa que só ela pode e deve ser para ele. Um homem que é homem tem de ter palavra, porque sem ela é lixo... é merda que não interessa, nem para papel higiénico serve! 

Lamento se revelo agressividade, estou cansada (uma vez mais o digo), cansada de ver, cansada de ouvir! A Alexandra não é somente um pedaço de carne com duas pernas, uma vagina, um par de seios e uma cara bonita... a Alexandra é uma mulher que já teve o seu pedaço (gigante) de dissabores, que já passou as "passas do Algarve", mas não morreu... está viva e aprendeu a defender-se de ambientes hostis para sobreviver e viver em paz! E tudo isto sou eu, doa a quem doer, goste quem gostar... eu gosto e o resto é paisagem!

Eu quero e gosto de paz... para mim, para todos!


Namasté!

Alexandra Martinho

15 comentários:

  1. Caramba, entendo-te. Não vou dizer que recebo muitos piropos, não é nada disso. Mas também tive a minha dose de homens porcos que achavam que era carne para canhão.

    Nessas alturas uma mulher tem de descer dos saltos altos e mandá-los para um lado bem feio. Admiro-te por isso. ;)

    ResponderEliminar
  2. Alexandra
    Estás fula, Amiga.
    O que relatas não é para menos.

    Podia dizer algo mais mas não é, percebo, a altura ideal.

    Sejas alta, bonita, baixa, feia, boazona, camafeu, não interessa. Tens, contudo, o direito de ser respeitada.

    Perdeste a cabeça. Vá lá, acalma-te e recupera a tranquilidade.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Alexandra, acho que tens todos os motivos para estar assim.
    Sei que a violência nem sempre é solução, mas a falta de educação tem limites e faltar ao respeito a uma pessoa é passar das marcas.
    Sinceramente, dá-me nojo pensar nessas pessoas, nessas coisas que se auto-proclamam machos alfa, esses que tratam as mulheres como um objecto. Dá-me náuseas pensar que mancham o nome de ser Homem e é por isso que há as ideias que há sobre a espécie masculina.
    Espero que lhe tenhas feito engolir todas as nojentas palavras que te disse e parabéns por conseguires enfrentar a situação e não fazeres como muita gente, que baixa a cara e pronto. Assim acho que, para a próxima, esse porco vau pensar duas vezes antes de dizer o quer que seja.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. És uma mulher com uma personalidade forte e determinada...gosto! Qual a mulher que nunca levou com nenhum piropo? Os Piropos são uma forma de se expressar, podem aumentar até a auto-estima da mulher, ou então não… Uns pensam que os piropos resultam, outros pensam que não. Em algumas mulheres resulta mesmo, noutras nem tanto...Eu sou dos que pensa que não. O piropo para mim nunca resulta, mas também é verdade que em circunstancia alguma, dirigi um piropo a uma mulher. Contrariamente ao que eu possa aparentar, sou um individuo muito reservado, nunca tomo a iniciativa de abordar as mulher e temo, invariavelmente, as vossas reacções. Este teu post só me vem dar razão e também explica a existência do meu blogue.
    Beijinhos e bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  5. Parabéns! É o que me apraz dizer.
    Excelente manifesto sobre a Identidade Feminina.
    Vincada, inteligente, resoluta, auto-consciente e vestida com auto-estima.
    Beijinho e bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  6. Gosto de pessoas com a atitude que revelaste neste texto. Ser activo, decidido e com filosofia de vida bem definida. Acho que pecaste na violência física, mas há momentos de precipício e um dia irás arrepender-te disto, eu creio.

    Beijinho de quem te admira :)

    ResponderEliminar
  7. Eu sou daquelas que prefiro ignorar, quando se dirigem a mim... deixa passar o poste, ou ganda viga, eu pura e simplesmente rio-me e ignora.. sigo sem mais conversas...e mesmo que acompanhem as frases com outras palavras.. boazona, tens um granda cu e e mais mimos que nem me lembro, eu ignoro sempre. Acho que essa é a melhor maneira de lidar com isto, sem agressividade ou mau comportamento.. uma mulher ao murro na rua também não é um espectáculo bonito de se ver. Digo eu...

    beijinhos, não te zangues. Calma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se trata de ser um espectáculo bonito de se ver, ou não, AC! Simplesmente, tudo o que é demais empata a venda e eu tenho pavio curto para "enfronhados" armados em gigolôs!

      Se tu ris, eu não! Estas abordagens podem ter tudo, mas cavalheirismo de todo que não possuem! E sou alta, gira, whatever... mas sou eu e para se dirigirem a mim tem de ser com respeito!

      Beijinho para ti e para todos que comentaram este post!

      Eliminar
    2. Alexandra dear, concordo na integra com o comentário da AC. Partilho da mesma opinião.

      Beijinhos e continuação de um óptimo fim-de-semana.

      Eliminar
  8. Respeito e fundamental e precisa-se cada vez mais nesta sociedade sem valores morais ,infelizmente ha de tudo neste mundoi ,felicidades

    ResponderEliminar
  9. Apesar de um certo exagero e generalização, compreendo-te perfeitamente e procuro sempre colocar-me no lugar das pessoas que sofrem com essas cenas (embora haja pessoas que até gostem, pois isso deve alimentar-lhes o ego). Ninguém é de ferro, pelo que, como é óbvio, a corda de tanto esticar-se acaba por partir. Não tenho dúvidas nenhumas que o gajo mereceu, portanto não te arrependas de nada. Limita-te apenas a sentir-te bem e vingada. Da próxima vez pode ser que o tipo tenha mais juízo. :)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  10. és das minhas :) grande e querida alexandra. beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  11. Ó Alexandra, o que eu gostava de ter visto esse mal-criadão apanhar o teu murro! Eu JAMAIS me atreveria (porque não sou portentosa fisicamente), mas lá que me apetece muitas vezes, ah isso sem dúvida!
    Quanto aos piropos, nem todos são indelicados: já ouvi uns quantos bem giros e doces :), com bom gosto... Tudo depende! Mas os que são rudes e grosseiros, lascivos e salivosos, esses mereciam ter a nossa Alexandra a cuidar deles como deve ser! :)
    Um beijinho para ti

    ResponderEliminar
  12. A educação cabe em todo lado até nos piropos, fosga-se que até estou parva com tanta indelicadeza da parte deles :/

    Eu costumo dizer que não era capaz de ter a tua atitude... Digo isso até ao dia que aconteça porque há dias e dias.

    Beijinho grande para ti, e já agora és girassa sim senhor :) (E eu toda a vida a ter complexos por ser pequena, não deixa de ser irónico.)

    ResponderEliminar

Façam do meu espaço o vosso espaço, ousem comentar... eu ousarei responder! :)