terça-feira, 20 de novembro de 2012

Ser ouvidos é um direito













Liderança é a capacidade de saber guiar, conduzir, dirigir ou preceder. Liderar é uma arte que poucos dominam, que poucos ousam usar, mas que muitos não têm noção do quanto esta arte, se mal usada, é prejudicial para a vida pessoal ou de um grupo.
Portugal padece há alguns anos desta doença, uma doença que tem corroído com erros e abusos o bem estar de toda uma população. Se outrora Reis eram prep
arados e educados para assumir a posição de liderança de um País, os "reis" da nova era não o são... são sim, marionetas dos seus próprios interesses. Utilizam a comunicação social e outros meios que veicularão a mensagem, mensagem que os conduzirá ao poder através do voto... um voto sigiloso (supostamente) e com pleno livre arbítrio (que não acontece, porque ao existir campanhas eleitorais há manipulação).

Se como nação temos de votar, como nação temos e devemos ser ouvidos. Vou fazer uma questão: quem é o Miguel Sousa Tavares, Marcelo Rebelo de Sousa, Paulo Morais, entre outros nomes, que insistentemente são convidados a peso de ouro para aparecer no nosso ecrã de televisão e que falam apenas do que de pior no nosso país existe? Serão eles representantes fiéis das necessidades ou restrições que os trabalhadores e famílias portuguesas atravessam? Quanto é que estes "pregadores" e "voadores" recebem para vir espalhar o caos? Caos esse que está mais do que instaurado, afinal de contas, é sempre o pequeno "peixe" que morre sem nunca ter comido (povo)!

Portugal mergulhou na discórdia, onde todos ralham e ninguém se entende. O governo não respeita os seus eleitores, os eleitores não respeitam o governo que elegeram. Não há, não tem havido liderança, apenas jogos de interesses que estão aos olhos de todos. A comunicação social é isso mesmo, social! Mas mais parece ser uma comunicação de elites, que não dá voz a quem merece, que não ouve quem realmente sofre, que não ouve efectivamente quem trabalha. São estes homens e estas mulheres que conhecem a realidade do país, todos eles contribuem para que a economia interna continue a funcionar... nós somos dez milhões e não apenas três ou quatro cabeças de pseudo-doutores informados que dizem meias verdades e meias mentiras. Certo é que quem os ouve raramente os percebe... ciclos viciosos que apenas servem para empatar e adormecer. Vejo uma vez mais que com a desgraça de muitos, outros querem apenas as luzes dos holofotes do protagonismo.

Por diversas vezes li nesta rede social e ouvi nas ruas, que a ditadura e o fascismo anda à solta. Quem o diz ou escreve devia ter cuidado e já referi isso num comentário a um artigo! Para quem não se lembra estas formas de exercício do poder chegaram e ocuparam o seu lugar à conta da contestação popular e inoperância dos governos vigentes da altura.

Já que gostam tanto e sentem prazer de comparar Portugal com o estrangeiro, deviam referir que hitler esteve no poder os anos que esteve porque sofreu mais de 80 tentativas de homicídio, todas elas falhadas, que levaram muitos a acreditar que este homem era um semi-deus! Aliado a isto existia tudo aquilo que nós conhecemos, mas também ele, caiu!

A manifestação de 14 de Novembro considero-a como um "acto hediondo" onde por erros e manias de meia dúzia pagam todos... todos aqueles que apenas desejavam e desejam ser ouvidos.
O que nos faz falta? Um líder no verdadeiro sentido da palavra! Quem governa uma nação, deve colocar os interesses da nação acima dos seus próprios interesses. Em certa parte, hoje, vivemos algo parecido ao ultimato inglês ou mapa cor de rosa... uma vez mais, erros de governação e falta de afirmação, conduziram Portugal a esta dependência externa ainda que temporária.

Os exemplos para um país começam de cima, da mesma maneira que para nós (individualmente) os nossos pais o são. Com os exemplos aprendemos e se de cima maus exemplos chegam, muitos sentem liberdade para praticar esses mesmos exemplos, mesmo que errados sejam.
A história mundial conta-nos tudo, a nacional também... pesquisem, procurem informação sobre a grande depressão dos anos trinta, sobre a "quinta-feira negra"... em pleno século XXI estamos a passar pelo mesmo, somos vitimas dos "polvos", mas também, de não pensarmos pela nossa cabeça e sim por aquilo que nos parece bonito e engraçado de ouvir!

A batalha de Aljusbatorra esteve praticamente perdida, como a de Valverde e na história ficaram conhecidas como milagrosas... Foi a fé de um líder, D. Nuno Álvares Pereira, e amor pela pátria que os conduziu à vitória. Este homem teve uma legião de seguidores, que o seguiam pelo carisma, pela fé, esperança que hoje tanta falta faz!

E quando perguntarem o que são os polvos, peixes e pregadores... peguem no sermão do Padre António Vieira - aos peixes e terão as respostas... a realidade de hoje, foi a de outros tempos!

Bem haja a todos e que continuemos a "lutar" pelo NOSSO PORTUGAL!

Alexandra Martinho

4 comentários:

  1. Ouso comentar que o teu texto é simplesmente brilhante. :))

    ResponderEliminar
  2. Não sendo eu uma revoltada, não consigo conformar-me. Não baixo os braços, não baixo a cabeça, não consigo esquecer. O país merece muito mais.

    ResponderEliminar
  3. Ja muitas vezes disse o problema deste pais e o mesmo de sempre liderança e acima de tudo homens honestos ,porque enquanto nao haver responsabilidade para quem governa um povo jamais mudara alguma coisa neste pais .Como e possivel um governante que esteve a frente de uma naçao nao ser responsabilizado quando sai ,ou mesmo durante a governaçao deitar as culpas para o passado, tenham do se foi eleito tem que cumprir e fazer melhor que o anterior ,desculpas todos temos ,se nao se acham capazes nao se candidatem. Qualquer cargo na vida todos temos que ser bons naquilo que fazemos ,se queremos o lugar temos que lutar para o ganhar ,depois mante-lo e no fim olhar para tras e ver que fizemos a diferença para melhor sempre e nao o contrario ,hoje temos que ser bom naquilo que fazemos ,porque sera que os politicos passam ao lado .No meu ver enquanto estes senhores nao forem responsabilizados por decadas de ma governaçao ,pelos danos sucessivos nao teremos um pais justo ,o povo olha e ve demasiada impunidade e irresponsabilidade de toda uma classe que caiu a muito em descredito.Quanto a carga policial ,acho repugnante a forma como aconteceu ,senao vejamos porque as autoridades se deixaram massacrar durante tanto tempo ,assistindo a destruiçao "calçada, arracando pedras"como se tudo fosse normal ,quando todos sabemos que no meio da multidao a policias a civil teriam logo acabado com aquilo,mas nao deixaram porque a verdadeira intençao foi um pretexto para poderem massacrar o povo ,de modo que a proxima manisfestaçao o povo sinta medo e nao compareça ,essa e a verdadeira razao para o ataque da policia .Espero que a esperança possa reinar outra vez neste pais lapidado por governantes sem escrupulos .Beijo Alexandra

    ResponderEliminar
  4. Mas parece que o governo e seus asseclas andam surdos e cegos!

    ResponderEliminar

Façam do meu espaço o vosso espaço, ousem comentar... eu ousarei responder! :)