terça-feira, 4 de dezembro de 2012

*Dentro de mim existe a verdadeira Resistência*








Persistência, paciência, prudência são estas as palavras chave que regem a minha vida. Para mim existem dois mundos: o meu mundo, o mundo de todos! Qual dos dois prefiro? O meu! Mas, com o de todos (que também é meu) muito tenho aprendido, foi ele que completou aquilo que faltava saber: viver em comunidade!

Não posso dizer quanto mais conheço as pessoas mais elas me desiludem, na realidade, já nada me surpreende e por incrível que pareça, a minha carapaça ficou tão dura que a frieza é o melhor remédio para cortar com aquilo que me desagrada!
As experiências e o caminho que trilhei ensinaram-me que dentro de mim existe a verdadeira e única resistência, capaz de enfrentar e solucionar os problemas que possa encontrar. A vida não é uma linha recta, é um caminho que pode ser sinuoso e atroz, mas sempre com um final que deve ser, feliz!

Sabedoria, sim é isto, sabedoria em cada gesto, em cada palavra e é isto que sou... sou uma nota musical que somente é tocada por quem tiver a audácia de a abraçar, sentir em todo seu vibrar. Medos todos nós os temos, errar, todos nós erramos... não somos seres perfeitos! E daí? Será que pela imperfeição temos o direito de julgar? Não! Os anos passam e cada vez mais considero a civilização como uma selva, em que os infelizes persistentemente tentam atacar aqueles que felizes estão, somente porque estes últimos têm alguém que os ame e aceite. 

Pena?! Será que devo ter pena destes seres humanos? Seres humanos que se preocupam com as sementeiras da discórdia? Creio que sim! É a única palavra que consigo encontrar para descrever aquilo que sinto. 
Muitos não aprenderam, não sabem, nem nunca vão saber que amar é aceitar o outro e que até o maior dos pulhas merece uma oportunidade para ser feliz! 

Sempre disse aos que me são próximos, não importa quanto tempo estaremos juntos, importa apenas eu saber que todos foram felizes e realizados com a minha companhia.
Pequenas situações e comportamentos, passados ou recentes, tem servido ou servem apenas para reforçar aquilo em que eu acredito: A confiança apenas deve ser dada ao sangue do nosso sangue ou aos que nos amam e aceitam... e aceitar não é somente dizer - "sim, está bem" - aceitar é aceitar, tal como amar é defender, cuidar, fazer crescer. 

A vida pode ser uma roda incessante de repetições, mas nem sempre paramos para sentir ou perceber a razão das mesmas. É importante parar para compreender, sim, compreender o que está errado... o que emanamos para que situação a, b ou c aconteça!

Sou naturalmente introvertida quando não estou no meu espaço, mas observo tudo captando até o mais pequeno pormenor. Não tenho medo de sombras, nem da solidão... perdi o medo e aceitei simplesmente o desafio de viver, de viver segundo as regras da minha individualidade. Uma individualidade que me torna tão especial, tão diferente de tudo o que é tão igual e tão reles. Poderia dizer ou escrever tanto, mas deve ser a primeira vez que não tenho vontade de escrever... tenho pena!

Sou a mulher que sou, grande e de grande valor... quem toca na minha mão sabe, sente o rio que corre em mim... quem me ama sabe que não haverá amante igual... quem partilha a vida comigo aceitou o desafio de nunca mandar a toalha ao chão, porque eu nunca irei desistir de ser feliz, nem tão pouco desistir daqueles que amo... não quero, nem preciso que me contem histórias. A história da minha vida escreverei eu com o meu punho até ao dia que partir para o meu verdadeiro lar!

Que se faça luz num mundo que caminha a passos largos para o abismo de se viver sem valores!

Alexandra Martinho




que chorem os corações amargurados... e vivam em paz!

8 comentários:

  1. Amei a tua reflexão. Muito bem escrito o texto.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Adorei mesmo a teu texto. Como sempre, lindamente escrito :D
    Amei a mensagem da imagem; esperamos que seja verdade :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Gostei de vir até aqui.

    Bons sonhos.

    ResponderEliminar
  4. Podemos ser muito sábios e inteligentes, mas se não formos persistentes pouco conseguimos da vida.

    ResponderEliminar
  5. Afinal não sou o único a acreditar em finais felizes!
    E tantos ironizam com isso!

    Abraço grnade

    ResponderEliminar
  6. Grande momento de resistencia ,assim e a vida de cada um de nos ,temos que aprender a enfrentar os problemas e encara-los de frente com sabedoria ,nao importa o tamanho de cada obstaculo,o importante e seguir em frente e ter a certeza que tudo nesta vida e apenas uma caminhada rumo a felicidade ,beijo Alexandra

    ResponderEliminar
  7. Insiste, resiste e não desistas :) Gosto!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. O nosso mundo pessoal é só nosso, mas o nosso mundo verdadeiro é de todos nós. Adaptamo-nos ao mundo por muito que o mundo parece não se adaptar a nós. :)

    Realçaste um sentimento negativo sem teres referido o nome dele: inveja. O que não falta é gente que não pode com a felicidade e sucessos alheios. Então neste país, é quase mesmo o pão nosso de cada dia...

    A Ave Maria de Schubert é um clássico simplesmente magnífico. Que a Virgem Maria Mãe de Deus rogue sempre por nós e nos ajude a fazer de nós cada vez mais fortes para enfrentarmos as incoerências e as inconstâncias do caminhar do nosso dia-a-dia.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar

Façam do meu espaço o vosso espaço, ousem comentar... eu ousarei responder! :)