domingo, 10 de fevereiro de 2013

*Chamo-te para mim*











Chamo-te para mim, tenho saudades de ti.
Desse teu cheiro que inalava todas as tardes
sempre que chegava a casa e procurava teu olhar de marfim.
Seria loucura ou simplesmente gestos de ternura humedecer minha língua na tua?

Chamo-te para mim... - sabes - que saudades tenho de ti.
Poderia nada fazer de útil, mas cá dentro neste palpitar alucinante do diamante
invoco o azul do céu com um sorriso cintilante.

Como ave que sois ousa pousar em mim,
beija a pétala que guarda preciosos sinais da vida.
Com alegria, meu amor, com alegria há-de chegar o dia
em que simplesmente sem ousadia farei de ti meu anjo guia.



Alexandra Martinho







8 comentários:

  1. Saudades que estão sempre presentes...

    Muito lindo.

    Ana

    ResponderEliminar
  2. Lindo momento de saudade o porque de sentir tanta saudade so cada um de nos sabera responder porque a falta esta na alma e no coraçao de cada um de nos que sofre nas diversas formas de sentir ,beijinhos Alexandra

    ResponderEliminar
  3. Nem sempre a saudade dói, Alexandra.
    Por vezes é, até, saborosa.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Mas que bela declaração de amor!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Saudade não tem, nem deve ser sinónimo de dor... pelo menos não deveria ser assim! E neste momento não existe dor, apenas amor!

    Beijinhos a todos!

    ResponderEliminar
  6. Uma bela mensagem de amor, cheia de saudade mas tão perto do coração de quem amas.

    Beijinho

    ResponderEliminar

Façam do meu espaço o vosso espaço, ousem comentar... eu ousarei responder! :)