sexta-feira, 27 de junho de 2014

'Delírios de palavras'







Parar de escrever quando nada tenho a dizer, há um cansaço aflitivo em mim para os dedos, perturbador para a alma e, neste temor ando em desassossego. 
Por momentos, naqueles momentos em que nada sinto apetece-me cobrir um corpo de mil beijos... mas para quê e para quem tantos beijos, quando não tenho quem preencha meus anseios? 
É nesta dormência, nesta estupidez pacata e confusa que baralho a mente e percebo que afinal tudo não passa de um delírio de cansaço. 
Não me venhas dizer, não me venhas contar conversas que não quero ouvir porque devo-te segredar para tudo existe um ponto final. Estou próxima do meu!
Vozes e mais vozes, ruídos de fundo a quem baixo volume, a quem digo não outra vez. Não esperem por mim porque neste parar de escrever nada mais tenho a dizer. É assim, assim delinho o destino para mim e olhando para esta garrafa vazia de gim percebo que não gostas mais de mim. Delírios, oh sim, delírios! Delírios de cansaço originados por um medo sem fim...
Que bom era não ter medo e certeza deste anseio com pressa de voar. Não desejo lágrimas de sofrimento, nem pratos de coração acelerado repletos de saudade, pretendo apenas matar a sede da vontade de ficar. 
Parar de escrever quando nada tenho a dizer, há um cansaço aflitivo em mim para os dedos, perturbador para a alma e, neste temor ando em desassossego! 
É isto, é assim e nada mais tenho a acrescentar, apenas o profundo desejo de descansar.









Um bom fim-de-semana a todos!



Alexandra 

7 comentários:

  1. Adorei Alexandra muitos beijinhos ,um lindo fim de semana

    ResponderEliminar
  2. Um texto triste, cheio de desalento, e solidão. Espero que seja apenas imaginação de autor.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  3. Escrever mesmo pensando que nada se tem para dizer (nada importante) pode ser libertador. E o que é isso de importante, afinal!? Por vezes começar a escrever nestes momentos é o inicio de muito e deixar para trás o que nos sufoca. Escreve-se antes de mais para nós, penso que só assim se chega aos outros. E aquilo que à partida é nada, pode coincidir com o nada de outro alguém que estava apenas ali à espera de não se sentir sozinho.

    Beijinho, Alexandra, um bom sábado :)

    ResponderEliminar
  4. Já tinhas saudades suas minha amiga.

    Soltar as emoções mesmo que nos magoe é libertar a alma e as palavras.
    Um texto emotivo e belo.

    beijinho e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. Um ruído de fundo, medos misturados com anseios, uma aparente parede em convicções instaladas...
    A necessidade de descansar é mais que óbvia, oxalá na paragem se definam as cores e os traços na tela que cada um de nós, à sua maneira, tenta construir.

    Uma inspiradora pausa!

    ResponderEliminar
  6. Hello there, just became alert to your blog through Google, and found that it is really informative.

    I am going to watch out for brussels. I'll be grateful if you continue this
    in future. Lots of people will be benefited
    from your writing. Cheers!

    My web site; Geburtstagsgedichte

    ResponderEliminar
  7. Amiga Alexandra:

    Hoje venho aqui me despedir, vou de férias que bem preciso :)
    Desejo-lhe também, se for caso disso, umas boas férias e que tudo corra bem para si e para os seus.

    beijinho

    ResponderEliminar

Façam do meu espaço o vosso espaço, ousem comentar... eu ousarei responder! :)