sábado, 19 de setembro de 2015

'O Forro dos outros'






Vivemos tempos difíceis! Todos sabem isso ou pelo menos assim o deveriam saber e não vamos, não devemos cingir-nos apenas ao lado monetário da vida. Os afectos, os relacionamentos são cada vez mais vazios e compostos por corpos que são exactamente o mesmo: mundos vazios à espera de alguém que os complete. Esta ultima observação pode ser difícil de digerir mas, a verdade, quando o nosso olhar carrega o poder de observar aquilo que nos cerca vamos despindo lentamente o forro que cobre a carne e os sentimentos do outro.

E todos temos um forro. E todos esperamos que alguém dispa esse mesmo forro. O ser humano necessita sentir-se vulnerável perante o amor. Partilhar com a pessoa certa essa mesma vulnerabilidade para poder caminhar. Será que são poucos aqueles e aquelas que têm esse poder? O poder de nos deixar sentir vulneráveis e de não usar isso em benefício próprio.

É nesta simplicidade, neste ideal que muitos homens e mulheres continuam a acreditar no amor. O amor que nos deixa ser vulneráveis. O amor que nos deixa sonhar dia após dia, aquele sonhar que nos liberta. Um sonhar que não são somente os sonhos de há vinte anos, é um sonhar que se rejuvenesce conforme vamos amadurecendo e crescendo.

Deixo-vos com um vídeo que nos leva a pensar até que ponto somos realmente íntegros e correctos na construção de uma relação com outro ser humano.





A Alexandra tem pensado muito nisto ultimamente.


Um beijinho a todos que me lêem!

3 comentários:

  1. Que a felicidade seja uma constante da vida ,beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Se há coisa que não gosto é destas receitas fáceis e lights.
    Essa de 'comprarmos um pacote de defeitos que aceitamos' dá-me vontade de rir.
    Na minha opinião, isto é um pacote de frases feitas quase sem conteúdo.

    ResponderEliminar
  3. Boa sorte na participação.
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar

Façam do meu espaço o vosso espaço, ousem comentar... eu ousarei responder! :)