sábado, 26 de novembro de 2016

Super Girl












Dias há em que dormitar seria o melhor de todos os remédios para que a mente se esvaziasse de tormentos matreiros que insistem em retirar a paz do descanso. Dias há em que me sento, como hoje, com a vontade de escrever qualquer coisa que não seja apenas qualquer coisa. Escrever a coisa de palpável e material que me permita respirar nos devaneios de uma vida que em forma de espiral velozmente percorre a linha do tempo.
Hoje há trovoadas no céu, deve ser Deus que ao meu ouvido gostaria de dizer "gosto de ti".
Talvez seja isso que faz falta o ouvir um "gosto de ti" vindo do nada com uma banda sonora que acompanha a dança das palavras que entoam no centro do coração.
Talvez seja a necessidade de dar à mente o espaço e o tempo que ela necessita para dos caboucos da escuridão erguer sonhos através das paredes sólidas da continuação.
Há dias em que me canso de ser a "super girl", mas se não existir a "super girl" também não existirá o eu.





Bom fim de semana.




Alexandra